Tradutor/Translator

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
Mostrando postagens com marcador REDENTORISTAS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador REDENTORISTAS. Mostrar todas as postagens

domingo, 4 de outubro de 2015

Beato Seelos

BEATO FRANCISCO SEELOS

Francisco Xavier Seelos nasceu no dia 11 de janeiro de 1819 em Füssen, Baviera, Alemanha. Foi batizado no mesmo dia na igreja paroquial de São Mang. Desde pequeno mostrava um grande desejo de se tornar padre e entrou para o seminário diocesano em 1842, após completar seus estudos de filosofia.

Pouco tempo depois de ter conhecido os missionários da Congregação do Santíssimo Redentor, fundada para a evangelização dos mais abandonados, decidiu entrar para esta Congregação e trabalhar junto aos imigrantes de língua alemã nos Estados Unidos. Ele foi aceito pela Congregação no dia 22 de novembro de 1842 e no ano seguinte embarcou no porto de Le Havre, na França, chegando a Nova York no dia 20 de abril de 1843.

sábado, 13 de outubro de 2012

Aniversário da beatificação


Aniversário da beatificação de São João Nepomuceno Neumann

Ocorreu durante o Concílio Vaticano II a beatificação de Dom João Nepomuceno Neumann , C.Ss.R. bispo da até então diocese de Filadélfia, E.U.A. no dia 13 de outubro de 1963 e foi canonizado em 19 de junho de 1977. Na homilia da canonização do Papa Paulo VI resumiu as atividades do novo santo, com estas palavras:

"Ficou perto dos doentes, gostava de reunir-se com os pobres, era um amigo dos pecadores, e agora esta na glória de todos os emigrantes".


A tela do novo Beato na glória de Bernini 
Basílica de São Pedro (Marrazzo Collection).

Santos Redentoristas

Na glória Santos e Beatos Redentoristas

Paulo VI proclamou Beato diante dos bispos presentes no Concílio 
e dos numerosos Redentoristas de todo o mundo. (Marrazzo Collection).

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Madre Maria Celeste


Hoje, dia 14 de Setembro a Ordem do Santíssimo Redentor e a Congregação do Santíssimo Redentorista em comunhão com a Igreja Católica celebram  a memória da Venerável Maria Celeste Crostarosa (1696-1755). Júlia Crostarosa, seu nome civil, nasceu em Nápoles em 1696. Tornou-se Carmelita aos 21 anos, tendo se transferido para o Mosteiro das Irmãs da Visitação em Scala no ano de 1723. Em 1725 a Monja Júlia teve 40 dias de revelações sobre a fundação de um novo instituto religioso feminino e sobre a regra que deveria seguir. Em 1731 a nova regra foi aceita pelas monjas e passaram a formar a nova Ordem das Monjas do Santíssimo Salvador ocasião em que Júlia tomou o nome de Monja Celeste do Santíssimo Salvador. Maria Celeste teve uma nova série de visões sobre a fundação de um instituto religioso masculino. Por causa de brigas internas no mosteiro de Scala, Maria foi obrigada a se retirar daquele mosteiro e com duas de suas Irmãs fundou a Ordem das Monjas do Santíssimo Redentor. Maria Celeste tornou-se grande amiga de São Geraldo Magela. Faleceu em 14 de setembro de 1755. O processo de beatificação da Irmã Maria Celeste Crostarosa foi iniciado em 1987.

Venerável Maria Celeste Crostarosa, Rogai por Nós! 

 


 

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Santo Afonso


 Santo Afonso de Ligório

Santo Afonso de Ligório nasceu em Marianella, perto de Nápoles, a 27 de setembro de 1696. Era o primogênito de uma família bastante numerosa, pertencente à nobreza napolitana. Recebeu uma esmerada educação em ciências humanas, línguas clássicas e modernas, pintura e música. Compôs um Dueto da Paixão, como também o cântico de Natal mais popular da Itália, Tu Scendi dalle Stelle, e numerosos outros hinos. Terminou os estudos universitários alcançando o doutorado nos direitos civil e canônico e começou a exercer a profissão de advogado.

Em 1723, depois de um longo processo de discernimento, abandonou a carreira jurídica e, não obstante a forte oposição do pai, começou os estudos eclesiásticos. Foi ordenado sacerdote a 21 de dezembro de 1726, aos 30 anos. Viveu seus primeiros anos de sacerdócio com os sem-teto e os jovens marginalizados de Nápoles. Fundou as "Capelas da Tarde", que eram centros dirigidos pelos próprios jovens para a oração, proclamação da Palavra de Deus, atividades sociais, educação e vida comunitária. Na época da sua morte, havia 72 dessas capelas com mais de 10 mil participantes ativos.

Em 1729 Afonso deixou a família e passou a residir no Colégio Chinês de Nápoles. Foi aí que começou a sua experiência missionária no interior do Reino de Nápoles, onde ele encontrou gente muito mais pobre e mais abandonada que qualquer menino de rua de Nápoles.


terça-feira, 31 de julho de 2012

Missionários Redentoristas


A Proposta de Santo Afonso
Nápoles, Padres demais e Apóstolos de menos

Lá por 1700 e pouco, a diocese de Nápoles, no sul da Itália, tinha uns 500 mil habitantes, 39 paróquias na sede e 41 na zona rural. Na sede havia 104 conventos, com 4.500 religiosos, padres e irmãos. As igrejas eram 504, com uns 1.500 padres seculares ligados à arquidiocese, enquanto havia ainda mais uns 3.000 sem ocupação pastoral definida. Em todo o Reino de Nápoles, para uma população de 4 milhões, havia 56 mil padres, 31 mil religiosos, 23 mil freiras.

Havia duas ou até três cidades de Nápoles. Uma era a dos importantes e dos ricos, vivendo de rendas, do comércio ou ocupando altos cargos no Reino e na Igreja. Era a Nápoles dos andares superiores, das carruagens, dos salões e dos minuetos. Outra era a cidade dos andares térreos e dos porões, a Nápoles dos empregados domésticos, dos prestadores de serviço, dos que viviam de espertezas. Fora do centro de ruas apinhadas, estava a cidade da periferia, da beirada do porto, dos quarteirões olhados com suspeita, dos marinheiros e dos desempregados.

Além do Reino da capital, havia o reino dos fundões perdidos, dos povoados escondidos, das pequenas cidades, dos pobres e dos esquecidos. Também no interior sobravam os padres, mas poucos eram os que realmente se dedicavam à evangelização. Era quase dominante uma religiosidade sincretista e mágica, alimentada pelo medo, pela ignorância e por interesses.

Foi na capital desse reino que, em 1696, nasceu Afonso de Ligório, de família rica, importante e cristã. Recebeu a melhor instrução possível naquele tempo, foi advogado de fama, deixou tudo para ser padre em 1726, para ser apóstolo de fato para os que precisavam.